Muito além do K-pop: uma Coreia do Sul tecnológica e ancestral

Atualizado: Nov 11

Quando PSY zerou a internet em 2012 com o seu clipe de Gangnam Style, que não apenas viralizou, mas se tornou o vídeo mais visto e curtido de toda a internet naquela época, o mundo ficou alerta: "A Coreia vem com tudo na cena musical". E as pessoas estavam certas, dizem até mesmo que o PSY foi o percursor da chamada 'Onda Coreana', que alcançou números surpreendentes na cena musical com boy bands e girl bands como BTS e BLACKPINK, que superaram inclusive artistas estadunidenses, um grande feito em um mundo onde os Estado Unidos ainda são os maiores investidores do entretenimento. Quem convive e trabalha com adolescentes sabe do tamanho deste fenômeno. Hoje eu convido adolescentes e adultos a explorarem a Coreia mais profundamente, um país que vive entre a tecnologia mais avançada do mundo e a ancestralidade.


Máscaras penduradas em um mostruário nas ruas de Seúl
Máscaras Tradicionais Coreanas

Você provavelmente sabe que a Coreia do Sul é um país profundamente tecnológico (como se nota no mapa abaixo, a Coreia do Sul é bastante iluminada, enquanto a do Norte ainda é bastante rural), eles já contam com uma rede 5G ultra rápida e o próprio metrô da linha 4 de São Paulo foi desenvolvido por este país, mas talvez você não saiba que Samsung, LG, Kia e Hyundai são todas marcas sul-coreanas de alcance global, fazendo com que esta nação do tamanho de Portugal e com 50 milhões de pessoas, tenha superado o PIB de países muito maiores como o Brasil, a Rússia e a Austrália em 2020. Porém, este PIB gigantesco para um quarto da população do Brasil, não significa necessariamente que não exista desigualdade e injustiças na sociedade sul-coreana como veremos na seção CINEMA E AUDIOVISUAL.


Foto aerea noturna da Península das Coreias, contrastando o Norte rural e o Sul urbano
Vista norturna da Península Coreana

A Coreia do Sul, como o próprio nome sugere, é parte de uma península dividida com a Coreia do Norte, com quem tem uma relação beligerante já há muitas décadas. A outra Coreia representa um contraste enorme em relação a direitos humanos, liberdade de discurso e de mídia e o próprio acesso à tecnologia. Contudo, a Coreia do Sul ainda não legalizou a união homoafetiva, para dar um exemplo das questões que contradizem o progressismo daquele país.


Esta península está localizada ao sul da China, fazendo fronteira também com a Rússia, e como se pode imaginar, as Coreias possuem uma história muito próxima da China, tendo também feito parte do Império Japonês de 1910 até 1945, quando foram dividas na parte norte e sul.




LER: Uma história comparada da cúmbia e do samba



ANCESTRALIDADE


Não é surpresa que as Coreias tenham bastante similaridade com a China. Além da proximidade entre essas nações, a China representou grande influência no território coreano em especial durante a Dinastia Ming, entre os séculos XIV e XVII. Contudo, as Coreias nunca fizeram efetivamente parte da China, como proferiu Donald Trump após o encontro com o presidente chinês Xi Jinping em 2017. As semelhanças se encontram principalmente em alguns traços culturais — a Coreia do Sul também tem uma tradição em Confúcio, e a própria língua coreana, que apesar de hoje em dia não usar mais a mesma escrita do chinês, é composta por 60% do seu vocabulário do chinês. Estas similitudes se refletem em como os coreanos se tratam entre si, com grande respeito à ancestralidade, aos mais velhos e à hierarquia.


Uma mulher sul-coreana vestida com um traje típico sul-coreano em um parque
Sul-coreana vestindo um hanbok

Como aconteceu com muitos países que se abriram à globalização e a ocidentalização, os trajes tradicionais perderam força. No caso da Coreia do Sul, o hanbok, traje antes utilizado no cotidiano os sul-coreanos, passou a ser usado apenas em ocasiões especiais, como casamentos, funerais e reuniões de família. Ainda sim, eles seguem representando um símbolo importante da identidade daquele país.


Outro traço da ancestralidade sul-coreana que se reflete na sociedade é a culinária. Embora o país de pequena extensão tenha sido inundado por comidas altamente industrializadas como hambúrgueres e pizza, e também sofrido influência dos vizinhos com as cozinhas chinesa e japonesa, a alimentação sul-coreana segue sendo profundamente nacional e tradicional, tendo como base o arroz, sopa e o kimchi, um alimento básico feito com vegetais fermentados, em especial o repolho e o rabanete. Kimchi também é o nome escolhido por uma drag queen sul-coreana que foi uma das três finalistas na maior competição desta forma de arte do mundo, RuPaul's Drag Race. A artista levou muitas referências ancestrais do seu país para a passarela e para os desafios, sempre mostrando a profunda ligação que os sul-coreanos têm com seu país.


Ainda no quesito gastronômico, os sul-coreanos são responsáveis pela criação do soju lá no século XIII, uma bebida alcoólica à base de arroz assim como o saquê, mas em contraste com a bebida japonesa, o soju não é fermentado, e sim destilado, logo sua concentração de álcool é muito maior chegando a até 53%. Soju é avaliada como a bebida alcoólica mais popular e a mais vendida do mundo, superando o vinho, que chega a ser muito mais promovido do que o licor sul-coreano.


MÚSICA


Não é nenhum segredo que o K-Pop (música pop sul-coreana) está dominando o mundo. Qualquer pessoa que conviva com pré-adolescentes e adolescentes sabe sobre que estou falando. É um fenômeno sem precedentes, por que se antes essas ondas musicais de alcance global eram surfadas por artistas norte-americanos ou ingleses, agora são as boy bands e girl bands da península coreana que, literalmente, comandam o baile.


Já se pode considerar que este gênero é uma das indústrias mais exitosas — e exigentes — da Coreia do Sul. Grupos novos são lançados diariamente, como uma grande linha de produção, onde garotas e garotos passam por fortes pressões físicas e psicológicas para serem nada menos do que perfeitos, e enfim alcançarem o tão desejado sucesso. Tal fato levaram a discussões entre especialistas de saúde da criança e do adolescente sobre os efeitos desse padrão inalcançável entre as meninas e os meninos que admiram esses artistas.


Mas se muitas bandas são lançadas diariamente no país, duas são aquelas de maior destaque mundial: BLACKPINK e BTS.


Quatro artistas posando e olhando para frente com saias colegial e fundo cor-de-rosa
Integrantes da banda BLACKPINK

A primeira é uma girl band composta por Lisa, Jennie, Jisoo e Rosé. Todas têm entre 24 e 26 anos e estão na estrada desde 2016, ou seja, a mais jovem tinha apenas 19 anos quando a banda começou. A banda já alcançou diversos números um nas paradas da Coreia do Sul e de outros países, e também realizou feats com artistas de renome na cena internacional como Selena Gomez e Lady Gaga. Outro aspecto desse gênero musical é que existem papeis definidos para as integrantes, enquanto algumas são especialistas em canto, outras são especialistas na dança.


Outra banda de destaque, e ainda maior alcance global, é BTS, esta é formada apenas por garotos, são eles Jungkook, V, Park Ji-min, RM, J-Hope Jin e Suga. No grupo masculino os rapazes chegam até uma idade um pouco maior que as garotas. Jin e Suga têm 28 anos.


Rapazes sentados com roupas bastante coloridas e fundo também colorido fazendo poses descontraídas
Integrantes do BTS em uma sessão de fotos

Vamos analisar alguns números para entender a magnitude desse fenômeno.


R$ 25 milhões

É a estimativa de dinheiro injetada na economia sul-coreana pela banda apenas em 2019, graças à venda de ingressos, propaganda e venda de álbuns. Contextualizando, este dinheiro corresponde ao PIB da Guiana.


1 hora e meia

Este foi o tempo necessário para a venda total dos ingressos para o show da banda no Wembley Stadium em 2019. Este é um dos estádios mais icônicos para concertos musicais, tendo recebido artistas como Queen, Elton Jhon, Bon Jovi, Beyoncé, Ed Sheeran, Spice Girls, Michael Jackson, Taylor Swift e One Direction. Porém nenhum deles conseguiu vender todos os ingressos tão rápido quanto a banda sul-coreana.


16.3 bilhões

A plataforma de áudio Spotify registrou neste ano o número de 16.3 bilhões de streams para o BTS, que se tornou a banda mais ouvida em toda a história do aplicativo.


21 horas

Foi o tempo necessário para que o vídeo do single Butter alcançasse 100 milhões de visualizações no YouTube.


3.399,302

Em um país com 52 milhões de habitantes, 6% dos habitantes possuem uma cópia de Map of the Soul: Persona em suas casas.



LER: Decolonialidade: O Grito da Independência do Adolescente



eSports


Adolescentes sabem perfeitamente a dimensão dessa categoria de esporte, mas talvez os pais não. eSports são simplesmente jogos eletrônicos que de tão sofisticados e profissionais, geram competições com prêmios milionários, como no caso do Mundial de LOL, que em 2021 oferece um prêmio de U$S 2,225 milhões (cerca de R$ 11 milhões). A Coreia do Sul é considerada a Meca dos eSports, não apenas pelo fato dos melhores jogadores do mundo serem desse país, mas também pela razão de que as PC Bangs (Lan Houses) são tão comuns no país quanto as padarias no Brasil.


Ainda há muitas discussões a respeito dos benefícios e malefícios dos jogos eletrônicos, sobretudo quando são excessivamente violentos, a máxima é a mesma de outras mídias como as redes sociais e as séries, é necessário que os pais estejam atentos ao que os filhos consomem e auxiliá-los ambos com o tipo de conteúdo quanto com as horas investidas nesses jogos, para que o adolescente não deixe de praticar outras atividades, como uma caminhada no parque com os amigos.


CINEMA E AUDIOVISUAL


Se eu precisei de um tempo para ver através das óticas do meu sobrinho e dos meus alunos adolescentes as bandas de k-pop para passar a apreciá-las, com o cinema foi diferente. Como cinéfilo a indústria sul-coreana começou a chamar minha atenção quando assisti Old Boy do diretor Park Chan-wook. O filme de 2003 venceu o segundo prêmio mais prestigioso do Festival de Cannes no ano seguinte, o Grand Prix, chamando a atenção do mundo para aquele país. Em 2016 o diretor volta triunfantemente com a obra-prima A Criada, recebida por aclamação pela mídia e sendo avaliada com 95% de aprovação no Rotten Tomatoes, um website americano de crítica de cinema considerado um dos mais relevantes do mundo.